VENDA MAIS

4 áreas essenciais pra você ficar de olho e começar a vender pela internet

Pra começar um negócio online, tem muito trabalho nos bastidores! Veja quatro áreas pra prestar atenção e começar a vender pela internet.

18h | 24 de março 2021 Por Capitã SOS

Você já sabe que vender pela internet é um verdadeiro mar de oportunidades! Afinal, você pode encontrar clientes em qualquer lugar do país, vender a qualquer hora e tem um custo de investimento muito menor pra começar.

Mas também não é simplesmente tirar fotos dos seus produtos, colocar na internet e esperar as vendas. Pra realmente começar um negócio online, você tem bastante trabalho pra fazer nos bastidores! E, pra facilitar a sua vida, eu dividi esse trabalho todo em quatro áreas essenciais pra você começar a vender pela internet.

Talvez você já tenha pensado nessas coisas, mas não dado a devida atenção pra que elas realmente segurem seu negócio de pé! Por isso, continua lendo que esse post pode ter a resposta do por quê que você ainda não tá vendendo tanto quanto poderia.

#PARATODOSVEREM: Nathalia Arcuri está sentada em um sofá com manta de listras brancas e pretas. Ao fundo, elementos adesivos brancos e pretos que remetem ao universo financeiro. Com as mãos levantadas, Nath diz "PRESTA ATENÇÃO"

1. Usar a plataforma de vendas direito

Não é apenas por onde você vai vender, mas de que forma essa plataforma quebra galhos pra você? Ou melhor,  o que ela oferece pra facilitar a sua vida com as vendas? E de que forma VOCÊ está aproveitando ao máximo isso?

Por exemplo, se você optou por um marketplace, como pode garantir que seu produto apareça nas buscas? Vale dar uma lida bem atenta nos termos do site pra entender isso, além de olhar os anúncios da sua concorrência e descobrir o que eles fazem de diferente.

Além disso, no caso de lojas virtuais, elas costumam também cuidar do pagamento por você - isto é, receber o dinheiro do cliente e mandar pra sua conta. Mas, normalmente, você pode escolher os tipos de pagamento que vai aceitar! Portanto, dê uma verificada pra confirmar quais são eles, e, principalmente, o quanto está pagando de taxa. Afinal, pra usar esses meios de pagamento digitais, você provavelmente vai ter algumas porcentagens descontadas em cada venda... E isso vai impactar no seu lucro e, consequentemente, no preço da venda.

#PRATODOSVEREM: Nathalia Arcuri tocando na cabeça, com cara de "entendeu?"

2. Criar o atendimento perfeito

Seus clientes vão precisar te encontrar, seja pra tirar dúvidas antes de fazer a compra, seja pra te contar como foi a compra depois, ou até fazer uma reclamação e pedir alguma troca. Aliás, já te falei sobre a importância do pós-venda pra fidelizar os seus clientes neste post aqui!

 Por isso, saber os canais de atendimento que você vai usar é muito importante. Mas, além disso, você tem que garantir que entende como eles funcionam!

Por exemplo, os marketplaces e plataformas de vendas costumam abrir um canal lá dentro mesmo pros clientes conversarem com você. Você sabe onde precisa clicar pra entrar em contato com cada cliente? E, quando receber uma mensagem, onde é que ela aparece pra você responder?

Além disso, se você usa outros canais, como o Instagram ou o WhatsApp, sabe exatamente como aproveitar cada um deles? Pensa aqui comigo: no Instagram, as respostas a comentários são visíveis pra todo mundo, e as mensagens diretas ficam só entre você e o cliente. Você PRECISA saber disso pra não cometer o vacilo de divulgar dados pessoais pra rede inteira, por exemplo!

Tá achando que é só isso? Calma que, só no tópico do atendimento, ainda tenho mais uma coisa pra te falar!

#PRATODOSVEREM: Nathalia Arcuri com uma colher de pau na mão, a Margarete, apontando pra câmera dizendo "te peguei!"

Também é bom você pensar em COMO vai responder as pessoas, e se manter bem fiel a essa forma de se comunicar! Isso vai desde o jeito de escrever até as respostas que vai dar pra perguntas que sempre chegarão, como descontos, pedidos de frete grátis, parcerias e até permutas.

 "Mas Capitã, cada caso é um caso, né?"

Sim! Não precisa ter as respostas preparadas, pra só copiar e colar, mas sim entender como a sua empresa se posiciona sobre esses assuntos e de que forma fala deles. Acredita na sua Capitã: fazer isso vai te economizar MUITO tempo no futuro, ainda mais quando seu negócio crescer tanto que você vai precisar contratar ajuda pra lidar com todos os pedidos!  

3. Resolver burocracias básicas pra vender pela internet

Já que falamos em contratar gente, deixa eu te falar rapidinho também sobre burocracias! Afinal, pra empreender igual gente grande, você tem alguns pepinos pra resolver.

E o primeiro deles é abrir a sua empresa legalmente! Ou seja, ter um CNPJ. Inclusive, tem marketplaces e lojas virtuais que só te permitem trabalhar com eles se você tiver um CNPJ!

Com uma empresa de verdade aberta, você pode emitir nota fiscal pros seus clientes, vender pra outras empresas (que costumam pagar mais que os clientes que são pessoa física, porque também compram em maior quantidade!) e até pode contratar funcionários! 

O primeiro passo costuma ser abrir sua MEI. Eu te contei tudo nesse post aqui, mas vale já deixar o aviso: a MEI tem um teto de faturamento de 81 mil reais por ano. Então, se você já fatura mais que isso, vai correndo ler este post aqui pra saber o que fazer, porque você PRECISA regularizar a sua situação. Afinal, você pode estar pagando mais imposto do que precisa... Ou não pagando imposto nenhum!!

Nathalia Arcuri olhando alguma coisa, com a mão no queixo, e cara de preocupada

#PRATODOSVEREM: Nathalia Arcuri olhando alguma coisa, com a mão no queixo, e cara de preocupada

4. Encontrar sua audiência

"Paroooou, Capitã! Eu não quero ser "digital influencer"... Só quero vender!"

Pois eu sei disso, e eu não quero que você perca o foco! Você precisa encontrar os seus clientes, ou seja, a audiência com a qual você quer falar, e precisa que ela também te encontre. E, pra vender pela internet, o melhor lugar pra ver e ser vista e visto são as redes sociais!

E, se seu objetivo é vender, você não precisa perder os cabelos pensando em aumentar o número de seguidores, engajamento e tudo o mais. Estamos atrás de clientes, não seguidores, certo? E eles não são necessariamente a mesma coisa.

Quer um exemplo de como NÃO vender pela internet?

Em 2019, uma influenciadora americana com mais de 2 milhões de seguidores teve que suspender a produção de uma linha de roupas criada por ela porque não vendeu nem o mínimo pro negócio dar retorno, que era de 36 camisetas. Sim, ela tinha mais de 2,6 milhões de seguidores e não conseguiu vender pela internet nem 36 camisetas!!!

É claro, ter seguidores e engajamento ajuda. Mas essas coisas vêm naturalmente se você estiver aproveitando essas plataformas pra gerar valor pros seus potenciais clientes.

O que eu quero dizer com gerar valor? Em outras palavras, ser útil! Isto é, deixar claro que sua empresa sabe muito bem do que está falando, mostrar que seu produto é a solução que aquela pessoa precisa e até mostrar que existe um problema a ser resolvido.

#PARATODOSVEREM: Nath com cara de feliz como quem diz "entendeu, né?"

E então, você já sabia de toooodos esses detalhes pra vender pela internet??? Pelo menos UMA coisa você não sabia, certo??? Agora, é só colocar em prática!

Por isso, pega o link e manda pra sua amiga que tá sofrendo pra conseguir vender pelo Instagram, porque tá mais preocupada em conseguir seguidor do que conseguir cliente! Tenho certeza que vai ajudar MUITO!!

Até a próxima, e lembre-se: vender pela internet não é ficar nas redes sociais! É muito trabalho!

Leia também


Compartilhe este post

Posts relacionados