CRECHE DE NEGÓCIOS

O que é o burnout, a síndrome de esgotamento ligada ao trabalho (e como evitar!)

A síndrome de burnout está ligada ao estresse causado pelo trabalho. Entenda o que ela é, como evitá-la e até como procurar ajuda!

18h | 10 de março 2021 Por Capitã SOS

Marinheira e marinheiro, você sente que o dia está com 8 horas em vez de 24? Não consegue relaxar na hora de dormir? Sente como se toda a sua energia fosse sugada pelo trabalho e, pra piorar, não vê muito resultado?

Então, continua lendo este post com bastante atenção, porque você pode estar sofrendo com a síndrome do burnout. De acordo com um estudo da ISMA (International Stress Management Association, ou Associação Internacional de Gerenciamento de Estresse, em tradução livre), o Brasil é o segundo país com mais pessoas afetadas por essa síndrome!

#PRATODOSVEREM: Nathalia Arcuri olhando um celular e, em seguida, fazendo cara de chocada, tampando a boca com uma mão

A síndrome de burnout é coisa séria, tripulação, e está muito ligada ao trabalho. Por isso, hoje vou te contar melhor quais os sintomas dela e como você pode se proteger.

O que é a síndrome de burnout?

Desde 2019, essa síndrome é considerada uma doença pela Organização Mundial da Saúde. Ela está ligada ao estresse causado pelo trabalho e normalmente tem a ver com a sensação de esgotamento, de estar sem energia! Mas não é só isso: a síndrome de burnout também traz  sentimentos como achar que você não é competente, frustração e até isolamento.

Além disso, os sintomas são bem similares aos que costumam estar ligados ao estresse num geral: dor de cabeça, falta de apetite, problemas com sono, problemas gastrointestinais, dificuldade de se concentrar...

Nathalia Arcuri olhando alguma coisa, com a mão no queixo, e cara de preocupada

#PRATODOSVEREM: Nathalia Arcuri olhando alguma coisa, com a mão no queixo, e cara de preocupada

E, cá entre nós, a pandemia piorou ainda mais essas condições. Afinal, a preocupação de todo mundo com a saúde aumentou, ficou mais complicado separar o trabalho da vida pessoal pra quem ficou em home office, e ainda teve quem precisou começar a empreender no meio da crise pra não ficar sem dinheiro!

Ou seja, a pandemia trouxe um peso extra ENORME pra nossa cabeça, e o estresse aumentou por todos os lados enquanto todo mundo teve que se virar rapidamente e aprender a viver numa "nova realidade".

Como evitar o burnout

A boa notícia é que dá pra evitar o burnout. E, em geral, é relativamente simples: controlar o estresse.

Eu sei, eu sei... Não tá sendo fácil pra ninguém! Mas, se puder ao menos aliviar essa sensação, já é alguma coisa, certo?

Então, deixa eu te contar algumas coisas que você pode fazer pra diminuir o estresse e evitar um burnout:

  • Praticar exercícios físicos: eles ajudam seu corpo a liberar endorfina, que é o hormônio que faz você se sentir bem!
  • Ter uma rotina bem desenhada: assim, não se perde nos horários e prazos, dentro e fora do trabalho.
  • Não trabalhar além do tempo: essa dica é MUITO importante, especialmente pra quem trabalha por conta! Tenha um horário pra começar e pra parar de trabalhar. 
  • Garanta seus momentos de lazer: e nem precisa sair de casa pra isso! Você pode assistir uma série, jogar algum jogo, passar tempo com sua família, praticar algum hobby...
  • Tome cuidado com as cobranças: lembre-se que todo mundo erra e a vida não é uma competição. Portanto, pegue leve e não seja dura e duro demais com você! Isso pode incluir, por exemplo, rever expectativas e metas pro seu negócio e até terceirizar algumas funções.

Nada disso substitui ajuda profissional!

Em primeiro lugar, se você tem sentido o esgotamento ligado ao trabalho, saiba que você PODE pedir ajuda. E isso não te faz uma pessoa menos competente ou menos "forte". Os cuidados com a sua saúde mental, marinheira e marinheiro, são tão importantes quanto com qualquer outra questão de saúde.

Então, se você sente uma dor na coluna e procura um especialista, por que não faz o mesmo quando sente que precisa de ajuda pra cuidar de problemas emocionais?

Nathalia Arcuri levantando as mãos e dizendo "é justo"

#PRATODOSVEREM: Nathalia Arcuri levantando as mãos e dizendo "é justo"

Portanto, você pode, pra não dizer que deve, procurar ajuda especializada se acha que está passando por um burnout, ou que pode vir a passar por um... Ou por qualquer outro motivo!

"Capitã, mas eu não tenho dinheiro pra procurar um psicólogo agora!"

Dá pra encontrar iniciativas de profissionais que fazem o atendimento gratuitamente - e online! Neste link, tem alguma dessas iniciativas pra você conhecer.

Além disso, se precisar se afastar do trabalho, você pode pedir afastamento pelo INSS e continuar recebendo um dinheiro, mesmo que seja autônoma e autônomo. Lembra quando te contei dos benefícios que todo MEI tem direito? O afastamento por doença é um deles, e, como já te contei, a síndrome de burnout é uma doença. Então, pode pedir, sim!

#PRATODOSVEREM: Nath Arcuri, com cabelo preso, e no estúdio, forma um coração com as mãos e diz "Obrigada"

Tripulação, espero que este post tenha ajudado a entender o que é a tal da síndrome de burnout, como ela pode ser evitada e, principalmente, que não é nenhum sinal de fraqueza ou motivo de vergonha passar por algo assim.

Então, aproveita e manda o link dele pra todo mundo que você conhece que tá passando por uma barra neste momento e também pode precisar de ajuda pra pedir ajuda! (entendeu o que eu quis dizer, né? Às vezes, as pessoas precisam de ajuda, mas não sabem como pedir!)

Até a próxima, e lembre-se: cuidar da sua cabeça não é menos importante que cuidar do seu corpo.

Leia também


Compartilhe este post

Posts relacionados