ESTRELAS

Como encontrar oportunidades nos erros, com Alê Costa, da Cacau Show

17h | 28 de outubro 2020 Por Capitã SOS

Sabe a Cacau Show? Hoje, é a maior empresa de chocolates finos do mundo! Mas o nascimento dela foi numa escala beeem menor. Além disso, surgiu de um erro que o fundador, Alexandre Costa, cometeu e o obrigou a mudar de rota literalmente do dia pra noite.

Errar, tripulação, faz parte do percurso de qualquer empreendedora e empreendedor. Mas não precisa significar o fim! Erros podem ser uma oportunidade pra fazer alguns ajustes e ir ainda mais longe.

E olha que, no caso do Alexandre, o erro foi grande! Na época, ele tinha 17 anos e queria começar a empreender. Então, pegou uma grande encomenda de chocolates, que era um produto que sua mãe tinha vendido há alguns anos.

No entanto, ao procurar a fábrica que fornecia os chocolates para sua mãe, descobriu que o tamanho que tinha oferecido para os clientes não era produzido! "Não existia outra saída a não ser encontrar uma maneira de produzir", lembra Alexandre. O jeito foi emprestar 500 dólares do seu tio e virar a noite trabalhando pra entregar tudo.

Com o lucro, ele pagou o empréstimo e comprou mais matéria-prima. Foi ali que começou a dar os primeiros passos na Cacau Show.

O surgimento de uma oportunidade para a Cacau Show

Depois de fazer cada um dos chocolates da encomenda, Alexandre percebeu que existia uma oportunidade de negócios ali. Afinal, na época, os chocolates de maior qualidade no Brasil custavam caro, eram de lojas especializadas. Já os mais acessíveis não tinham muita qualidade.

Ele poderia, então, criar chocolates finos com ótimo custo-benefício, feitos artesanalmente e com ótimas matérias-primas, mas a um preço acessível! "Depois de fazer uma análise mais detalhada do mercado, iniciaram-se os planos para continuar a Cacau Show". Como assim "continuar", Alexandre? "Era uma marca que minha mãe, a famosa Dona Vilma, já havia desenvolvido anos antes!", relembra.

Falando na Dona Vilma, é dela e do pai que Alexandre diz que vem essa veia do empreendedorismo: ela era vendedora de produtos de catálogo, e ele era tecelão. Por ter crescido com esse olhar empreendedor dentro de casa, o fundador da Cacau Show acredita que, quando precisou se virar pra atender seu primeiro grande pedido, sabia que voltar atrás ou abandoná-lo não era uma opção, mesmo tendo só 17 anos na época: "correr atrás dos sonhos e buscar evoluir sempre esteve em meu DNA. O olhar empreendedor mesmo", avalia.

Para onde crescer agora?

O crescimento da Cacau Show também tem muito desse olhar empreendedor. Afinal, sem saber pra onde ir, ninguém nem sai do lugar! E foi aos poucos, sempre pensando se a estratégia de negócios fazia sentido com as demandas que o mercado tinha no momento, que a marca foi se expandindo.

Um exemplo que o Alexandre dá é com as franquias da marca. Eles perceberam que poderiam atingir ainda mais pessoas se estiverem em mais lugares, e a melhor forma de fazer isso era com franquias. Mas, dependendo do lugar, os franqueados vinham com pedidos que poderiam atender melhor àquele público. Foi assim que a Cacau Show criou diferentes modelos de franquias e pôde atender às demandas de públicos tão diferentes por todo o país!

Além disso, a Cacau Show nunca teve investimentos externos, nem empréstimos: todo o crescimento da empresa sempre foi feito a partir do reinvestimento dos lucros. Já te falei que essa é uma prática MUITO recomendada, certo, marinheira e marinheiro? Pois a Cacau Show é prova de que dá certo, sim. E o Alexandre ainda deu a receita: "paciência e reinvestir 100% dos lucros".

O erro pode virar um aprendizado

Olhando hoje pra 30 anos atrás, quando o jovem Alexandre de 17 anos precisou ser criativo pra entregar os produtos que vendeu, o empresário reconhece que, sem passar por essa dificuldade, não estaria onde está hoje. "Acredito que todos os caminhos percorridos, contando com os erros, são importantes para aprendermos", reflete. E, em 30 anos, espera continuar com essa visão: "gostaria de olhar para o passado e ver que tive a humildade de reconhecer as minhas fragilidades e a grandeza de corrigi-las!"

Por isso, quando perguntei que conselho ele daria para a minha tripulação, ele falou das dificuldades que você, marinheira e marinheiro, pode estar enfrentando agora. Mas que sempre existe uma saída! "Inclusive, é nesses momentos que conseguimos aprender mais e que temos oportunidades para amadurecer ideias e posicionamentos. É importante passar pelas dificuldades e aprender com elas", aconselha.

Espero que a trajetória do Alexandre tenha servido de inspiração pra você, marinheira e marinheiro! E, se você sabe de alguém que tá precisando ler esse post também pra se inspirar a identificar oportunidades nos erros, é só clicar aqui pra mandar pra essa pessoa!

Leia também


Compartilhe este post

Posts relacionados